PEÇA EM DESTAQUE: URNA CINERÁRIA

Data da notícia: 3, Junho 2020

PEÇA EM DESTAQUE: URNA CINERÁRIA

À semelhança do que acontece noutras regiões do Maciço Calcário Estremenho, a região da Batalha possui diversas grutas naturais que terão sido utilizadas para as deposições funerárias das comunidades agro-pastoris que aqui habitavam. 

No vale da Pia da Ovelha foram encontradas as necrópoles de Buraco dos Ossos, Buraco Roto e Forneco da Moira. Ali se acharam urnas incinerarias que remontam a 2000 antes de Cristo. 
Com a introdução do ferro e do cavalo no século VIII a. C. por tribos do Norte e Centro da Europa, as comunidades agro-pastoris desta faixa ocidental da Península Ibérica tornaram-se mais aguerridas, ocupando montes e planaltos, como o testemunha o Castro da Rebolaria.
Estas comunidades estabeleceram contactos com povos da bacia mediterrânica e da Europa Central e do Norte, até cerca do ano 150 a.C., altura em que Roma, invadiu a Lusitânia.  
A peça que destacamos esta semana é representativa dos rituais funerários das comunidades do Bronze Final/Idade do Ferro.  Oriundo Ourique (Baixo Alentejo), trata-se de um vaso de corpo ovalado assente sobre fuste troncocónico, com uma tampa tampa hemisférica, rematada pela figura de um cavalo. A peça possui uma decoração geométrica incisa nos ombros do vaso e no fuste. Terá sido cozida a baixas temperaturas. 
No MCCB, esta peça pode ser vista na área dedicada às Primeiras Comunidades.
 
 
CONTEÚDOS ÁUDIO E VÍDEO

Língua Gestual Portuguesa: youtu.be/6csLAqP1XHI

As Primeiras Comunidades: informação do áudioguia: soundcloud.com/user-703797746/12-mccb-as-primeiras-comunidades-agr